Falar em estratégia dói a sua cabeça?

Atualizado: há 2 dias


estratégia dói a sua cabeça

Falar de estratégia infelizmente se tornou muitas vezes algo banalizado e sem sentido para gestores e empresários de médias empresas (o que dizer das pequenas), muito por conta de não enxergarem sentido prático nesta atividade.


O problema é que, como diz o ditado: "Para quem não sabe onde quer chegar, qualquer caminho serve".


O não saber onde chegar, não significa que não existam objetivos macro na companhia ou vontade de realizar estes mesmos objetivos, mas, o que fazer, quando e como fazer? Este é o tipo de pergunta que assombra a maioria dos gestores. A consequência disto é que a companhia deixa de ter diretrizes claras, ou seja, prioridades e assim, tudo passa a ser importante e no final, nada é.


Com este quadro, o empresário ou corpo gestor principal acaba ficando extremamente sobrecarregado, apagando todos os incêndios e vivendo um ciclo vicioso, sem muitas perspectivas.


Para destravar o crescimento da companhia, a autonomia da mesma é parte fundamental do processo, ou seja, ela não pode ser dependente do empresário ou principais gestores. O papel de um grande líder em companhias vencedoras é se tornar cada vez mais desnecessário para o dia a dia das operações. Pode parecer utópico, mas essa é a saída para a liberdade e prosperidade.


Vejamos alguns passos para tirar a estratégia do papel e libertar-se das amarras das operações:

1. Tenha muito claro a missão e visão da companhia


missão e visão da companhia

Particularmente, gostamos muito do termo Propósito, pois significa melhor o porquê da existência da companhia. De posse deste elementos e certificado de que são consistentes e alinhados efetivamente às necessidades de mercado, é hora de trabalhar os objetivos de médio e curto prazos.


2. Desenvolva objetivos de médio e curto prazos



Ter objetivos claros de onde queremos chegar de forma qualitativa e quantitativa é pilar fundamental neste processo. Trace objetivos de não mais do que três anos e já direcione seus esforços para os objetivos anuais estratégicos, assim, você garantirá que está focado no que realmente pode fazer.

Exemplo de objetivo estratégico anual - qualitativo:

  1. Consolidar-se como um dos principais players no mercado ABC, na Região Sudeste.

Exemplo de Resultados Chave estratégico anual - quantitativo:

  1. Aumentar de 20 para 25MM faturamento nos produtos A,B e C

  2. Implantar 10 projetos A em clientes novos

  3. Aumentar NPS de 8 para 9 em contas atuais


3. Desdobre a estratégia em ciclos trimestrais para todas as áreas


metodo okr

O importante aqui é ser ágil e corrigir muito rápido a rota, caso as iniciativas não estejam trazendo os resultados esperados, assim, deve-se:


1. Solicitar aos times que desenvolvam objetivos trimestrais alinhados à estratégia anual;


2. Junto aos objetivos, Resultados Chave (indicadores e metas) que traduzam os objetivos (leia OKRs a metodologia estratégica de companhias vencedoras para saber mais);


3. Planos de ação (5W2H), onde deveremos ter iniciativas diárias, semanais, mensais, com respectivos responsáveis, a fim de que os objetivos sejam alcançados (aqui uma boa planilha de OKRs ou softwares dedicados, pode ajudar bastante - em breve publicaremos planilha de OKRs por aqui, fique ligado).


4. Ritmo, rotina e rituais

ritmo rotina e ritual

Tudo o que colocamos atenção cresce, e neste caso, queremos focar em nossos objetivos estratégicos e táticos. Para obter resultados consistentes, recomendamos algumas boas práticas:


  • Reuniões tático-operacionais semanais, chamadas check-ins. São meetings de 30 minutos, onde os líderes de equipes validam e apoiam seus times. Devem ser verificados indicadores e ações realizadas, se estamos na rota certa ou não, propor contra medidas e iniciativas novas para correção de rota, além de compartilhamento de boas práticas entre os pares;


  • Reuniões de apresentação de resultados mensais: aqui os líderes de time se reúnem com a alta direção e apresentam mensalmente os resultados de suas áreas. Assim como nos check-ins semanais, o objetivo é validar o progresso dos objetivos de nível tático / estratégico, propor ações para corrigir a rota e trocar boas práticas;


  • Redesenho de objetivos táticos trimestrais: a cada quarter, ou seja, ciclo de três meses. Após a reunião de resultados, os times devem se reunir no que chamamos de OKR day e assim, desenhar e desdobrar um novo ciclo trimestral, tendo foco extremo em continuar alinhado e alcançar os objetivos de nível estratégico.


Além deste processo de desenvolvimento prático da estratégia, é importante também contar com KPIs que meçam a saúde do negócio como um todo, além de processos bem mapeados e consistentes, que garantam a execução e entrega dos produtos e serviços.


Inicie seu processo estratégico de forma simples e incremente-o aos poucos, com certeza você colherá frutos desta prática antes do que imagina.

#EstratégiaÁgil #GestãoLean4 #OKRs #Objetivos #Resultados

26 visualizações